sábado, 29 de agosto de 2009

Format C



Um pequeno erro, depois um engano e mais uma função foi pro brejo.Depois outra e mais outra, desisntala aqui, reinstala ali e não funciona. Muda o IP, config, ping, pong e sei mais lá o que até a sentença final: format c.

Não há nada pior do que format c. É uma sentença de quase morte para o seu computador e tudo que tem lá dentro. Horas de back-up para salvar o que quase não mais existe, que agora vai morar em um CD ou DVD, regravável (ou não) ou em um pequeno pendrive. Se você já for um iniciado, talvez tenha a felicidade de já ter tudo guardado no seu HD externo.

Cumpridos os procedimentos de salva arquivos o especialista abre uma janelinha preta e sem dó digita a sequência final. Em poucos segundos sua vida desaparece. Ele, com muita calma, reinicia a instalação dos softwares. Começa com o windows, depois as atualizações, depois a conexão, o office. E vai por aí afora, decidindo o que "ele-especialista" acha que você precisa ou não.

Este programa é muito melhor, aquele faz a sua máquina pesada. Não, você não precisa de tanta segurança. E quando você acha que não precisa ele diz: este é indispensável. Ampulheta rodando horas a fio até que finalmente o disco de backup é resgatado e seus arquivos reinstalados. Pronto, está pronto, muito mais leve, ágil e melhor de tudo funciona! Eis aqui o seu computador como se fosse novinho em folha.

Os primeiros dias de pós-format c são no mínimo intrigantes. Nada está no mesmo lugar,tudo parece meio estranho. Por outro lado, sou forçada a reconhecer: as coisas funcionam melhor. Novas trilhas, novas rotinas, novas paisagens fazem com que as memórias antigas sejam recontextualizadas. E me pego pensando se de vez em quando a minha cabeça também não mereceria um boot - format c e vida nova...? Por que não?

Este blog é para o meu amigo Alex, que sem dó, mas com muita paciência (comigo), deu um format c na máquina de onde escrevo para voces. Ainda não encontrei tudo, mas está de verdade muito mais funcional!

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Hibiscus Blue Ballerina in the sky

Tempos atrás eu coloquei algumas fotos de flores no Flickr. E recebi um convite para participar de um grupo que só fotografa Hibiscus. Venho acompanhando o grupo desde aquela época.

A coisa que mais me encanta é ver a cada dia mais e mais imagens, todas maravilhosas e fascinantes. Beleza não tem fim. E existem pessoas no mundo que se dedicam a colecionar e difundir fotos que seguramente nos colocam em conexão com outros mundos, bem melhores do que o nheco-nheco do dia a dia.

Então aqui vai uma das melhores, para sua semana começar mais feliz.

sábado, 22 de agosto de 2009

Absolutamente Triste


107
Upload feito originalmente por daisy.grisolia
Tenho saído para fotografar graffitis. Isso me faz andar na mesma cidade e pelas mesmas ruas com outro olhar. Sem a pressa e a objetividade do trabalho, mas apenas olhando e vendo. E eles estão em todos os lugares por onde passo todos os dias. Não é preciso ir a periferia, apenas olhar e ver a periferia que está aqui.Não têm nome, não têm casa. São sem posses, sem atenção, sem cuidado, sem forças sequer para se revoltar.Largados e tristes.Só.

sábado, 15 de agosto de 2009

Parque da Agua Branca


Parque da Agua Branca
Upload feito originalmente por daisy.grisolia
UM GALO, e de verdade!

Eles circulam no meio das galinhas, perdizes, pavões e pessoas. De crista vermelha e empinada, apressados, ciscando pelo chão e sem prestar atenção aos micos e esquilos nas árvores centenárias. O motorista de taxi me contou que não é raro encontrá-los se aventurando pelas ruas da vizinhança.

O Parque da Agua Branca é um evento singular na cidade de São Paulo. Um mergulho no tunel do tempo. Uma vila de casas coloniais, janelas de madeira, portas pesadas, cocheiras, baias, arvores muito antigas e o cheiro de fazenda, dos animais da fazenda, que substitui milagrosamente a irritação da poluição pela calma da casa no campo imortalizada pela Elis (os jovens há mais tempo sabem do que estou falando...os que não sabem, vão para o Google pesquisar um pouco).

No meio do Parque há algumas casas de paredes de vidro e nelas as marcas do trabalho de um grupo de artistas. Foi lá que encontrei OZI e seus amigos. O papo rolou solto por mais de tres horas e com certeza vou levar alguns dias para conseguir registrar todas as (boas) impressões que ele deixou. A trajetória de vida, a coerência e compromisso profissionais, as escolhas estéticas, os valores, os acertos e desacertos, tudo em Ozi é celebração de vida.

Falo sobre isso na próxima...(to be continued)

sábado, 1 de agosto de 2009

Mulheres de Atenas e do mundo...

Erasmo Carlos - Mulher

Shared via AddThis

Aspasia a amante de Péricles, a estrangeira, que encantava os intelectuais de Atenas com sua inteligência e beleza. Foi com ela que a conversa começou. Mulheres inteligentes seus amores e desamores.

Lou Andrea Salome, foi amante de Rainer Maria Rilke, Freud, Jung e Nietzche...quer mais? Rilke dizia que viver com ela era um inferno, mas que todos aqueles que foram seus amantes escreveram grandes obras depois dela!

No mesmo modelo, boa de espada, mas ruim de amores, tem a virgem de Lorraine, Joana D'Arc, apaixonada pelo Delfim da França, mas esta morreu na fogueira, não vale muito a pena.

Cleopatra sabia como dominar um Cesar e seu melhor general Marco Antonio...vale a pena conferir, mas como toda boa mulher não suportou a perda do seu grande amor e se matou...melhor não!

Dona Flor era mais sabida do que Ana Karenina. As duas tiveram que se ver com a questão de mais de um amor ao mesmo tempo na vida. Ana Karenina se suicidou...já a Dona Flor, deu um jeito de ficar com o farmaceutico ( tranquilo e seguro) e com o Vadinho (um safado total). Na mesma linha temos Guineverre entre Lancelot e o rei Arthur....ela preferiu Lancelot e Arthur teve a dignidade de morrer, deixando-a viuva e aos cuidados de seu cavaleiro predileto. Já Morgana, ficou com Merlin e toda sua mágica, aprisionou-o em uma árvore e saiu pelo mundo...

E ultimamente, depois do Código da Vinci, quem está em alta é Maria Madalena, considerada prostituta arrependida pela igreja e revista como a esposa do Cristo, grande mentora dos primeiros cristãos, organizadora da igreja (o que lhe valeu algumas encrencas com São Pedro) e a provável escritora dos evangelhos apócrifos.

Ah,,,tem também a Sherazade, que com aquela história de me dê só mais uma noite para terminar esta história, enrolou o principe Shariar por 1001 noites e ainda fez ele se casar... com ela!

Isadora Duncan, não poderia deixá-la de fora desta lista. Dispensou as sapatilhas, arrancou o tiutiu e saiu dançando livre, descalça e feliz pelo mundo afora.

Pela lista, parece que aquelas que não levaram os homens tão a sério, se divertiram mais e se deram melhor na vida! Sigamos o seu exemplo!

mary hopkin - those were the days-68

mary hopkin - those were the days-68

Shared via AddThis

We'd live the life we choose, we'd fight and never lose, those were the days...oh yes, those were the days.

Acordei devagar. As coisas ganharam forma e contorno a medida que o sonho foi se desfazendo no ar. Um sonho engraçado, com pessoas desencontradas, situações absurdas, como elas costumam ser nos sonhos e na vida. Troquei emails, conversei, almoço, música, relax no sabadão cinzento. Passei no blip.fm para pegar umas encomendas (Paco de Lucia para S***, James Taylor para MT***) e aí encontrei essa peça histórica. Era a música e letra do meu sonho!